Evolução da logística: As 5 fases e previsões para o futuro

Evolução da logística
9 minutos para ler
Compartilhe:

Se você trabalha com logística há algum tempo, deve ter notado como sua atividade profissional mudou nos últimos anos.

A chegada de novas tecnologias e ferramentas, assim como o desenvolvimento da infraestrutura urbana, desencadearam uma rápida evolução da logística, que fez com que as atividades se tornassem menos custosas, mais ágeis e controláveis.

Essas alterações foram sentidas tanto pelos profissionais como pelos clientes. 

Por isso, neste artigo vamos fazer uma pequena retrospectiva para analisar mais de perto a evolução histórica da logística no Brasil e no mundo. 

Acompanhe a leitura e confira informações sobre as 5 fases da logística, o panorama do progresso logístico nacional e uma pequena análise sobre o futuro do setor. Boa leitura!

As 5 fases da evolução da logística

Para você entender melhor como ocorreu o processo de evolução da logística, separamos abaixo detalhes sobre as 5 principais fases evolutivas do setor.

Nosso recorte começa no pós-guerra, nos anos 40, quando a economia mundial e a atividade industrial começam a focar no mercado consumidor.

Fase 1 – Anos 40

Durante a primeira fase, as indústrias se preocupavam com produção em larga escala. Os estoques eram controlados manualmente e havia dificuldades de comunicação entre fabricantes e revendedores.

Por isso, era comum encontrar pontos de vendas que tinham estoques lotados de produtos, afinal, levava tempo até que a reposição pudesse ser feita. 

Ainda não havia o conceito de logística empresarial, ou seja, não era comum que as empresas tivessem preocupações com os custos produtivos e com a rotatividade dos produtos. 

Fase 2 – Anos 50

Nos anos 1950 o conceito de logística empresarial começa a se consolidar. 

Surgem teorias como o Lean Manufacturing, teoria de produção aplicada nas fábricas da Toyota no Japão com o objetivo de reduzir desperdícios e controlar a produção, tornando as atividades mais lucrativas. 

Na prática essas mudanças trouxeram uma nova filosofia: em vez de fabricar produtos aos montes, as empresas passaram a direcionar seus gastos para melhorar os fluxos de distribuição e reposição.

A partir dessa mudança, toda a evolução da logística começa a se orientar para a experiência de consumo, uma vez que há mais enfoque nos canais de distribuição e atendimento ao cliente. 

Fase 3 – Anos 60 e 70

Ao longo dos anos 60 e 70, o modelo de produção mais enxuta e controlada começa a se consolidar. Isso significa que as empresas começam a investir cada vez mais nos canais de distribuição.

No Brasil, o modal rodoviário começa a despontar conforme novas obras de infraestrutura de transporte começam a ser feitas por aqui.

Contudo, em meados dos anos 70 ocorre a crise do petróleo e mudanças nos custos de mão de obra. Isso acarreta no encarecimento dos processos e o surgimento de um novo desafio: como modernizar as operações para torná-las ainda menos custosas? 

Fase 4 – Anos 80 e 90

A partir dos anos 80 e 90, vem à tona o conceito de supply chain, a cadeia de suprimentos. 

O processo produtivo começa a focar na integração e controle das operações para:

  • Reduzir os custos;
  • Antecipar problemas;
  • Monitorar melhor o desempenho de cada etapa logística.

Essa nova forma de enxergar as operações integradas também recebe melhorias graças à evolução tecnológica e a globalização, que facilita a comunicação e a troca de inteligências.

Todas essas mudanças foram sentidas dentro do Brasil e também fora de nossas fronteiras. O comércio exterior se fortalece ao passo que a logística nacional também começa a ser cada vez mais importante para o desenvolvimento da nossa economia. 

Fase 5 – Atualidade

Na última fase entra em cena a logística 4.0, nascida em um contexto de alta tecnologia. Essa é a fase que vivemos hoje, onde é possível ver a inovação aplicada para:

  1. Automatizar tarefas;
  2. Controlar resultados;
  3. Reduzir custos;
  4. Monitorar operações.

Novidades como a internet das coisas, a robótica e a internet 5G passam a surtir efeitos dentro dos processos, transformando a realidade das empresas e oferecendo novas formas de executar cada etapa logística. 

A evolução da logística no Brasil

Até o começo dos anos 50, o Brasil ainda era um país altamente agrícola. Essa é uma realidade presente até hoje, contudo, há 70 anos atrás, nossa economia era ainda mais dependente da agricultura.

Basicamente, a produção alimentícia era local e de pouco alcance devido à falta de uma boas alternativas para transporte. A indústria era concentrada nos poucos pólos urbanos e dependente do transporte ferroviário e da precária malha rodoviária nacional. 

catálogo equipacenter 2023

Tudo isso dificultava a evolução da logística e praticamente impedia grandes planos de integração comercial e industrial. 

O começo da urbanização

O cenário começa a mudar nos anos 50 e 60. Obras de infraestrutura nacional começam a ser foco dos governos. Este movimento começa com Juscelino Kubitschek e atinge seu auge durante o período militar.

Dois bons exemplos desse progresso são:

  1. Construção da rodovia Transamazônica, que surge em um grande projeto de integração da porção norte do Brasil;
  2. Finalização da rodovia dos Imigrantes, que facilita tanto o escoamento da produção nacional para o porto de Santos quanto a chegada de produtos importados.

Durante os anos 70, o país começa a viver um período de alta urbanização, graças às melhorias da infraestrutura e avanço da industrialização. As cidades começam a crescer e novas malhas urbanas se desenvolvem nas cinco regiões.

A década perdida e o desafio da evolução da logística

A partir dos anos 80, já sendo um país mais urbanizado que rural, o Brasil enfrenta graves crises econômicas, o que interrompe o ritmo da evolução da nossa infraestrutura e, por consequência, da logística.

A alta inflação e a falta de recursos para investimentos de base se mostram desafios intensos, que deixam a logística nacional “parada no tempo” durante alguns anos. 

Isso começa a mudar a partir de 1994, quando o Real entra em cena junto com diversas políticas de controle de preços.

Na mesma época, a internet, a informática e as telecomunicações começaram a evoluir rapidamente.

Isso deu origem a novas ferramentas e soluções tecnológicas, que reduzem os custos e ampliam a eficácia da logística e de outros setores empresariais. 

A modernidade bate à porta da logística

Nos anos 2000, o Brasil passou por um novo boom econômico, que fez de nós a 6ª maior economia do mundo.

Novamente, foi um momento de muito investimento na infraestrutura nacional, incluindo melhorias na malha de transporte e nas políticas de industrialização e desenvolvimento comercial e do agronegócio

Junto com tudo isso, a internet ganha forças junto com novos sistemas tecnológicos e inovações como a robótica, que passam a automatizar tarefas dentro do setor logístico e dar agilidade e transparência para os processos. 

Qual o futuro da logística no Brasil?

É difícil adivinhar o próximo passo da evolução da logística no Brasil e no mundo. Isso ocorre porque a tecnologia está evoluindo com uma velocidade incrível, que dificulta muito qualquer tipo de previsão.

Contudo, ao olhar para o cenário nacional, é possível analisar alguns pontos importantes. O primeiro diz respeito aos modais de transporte.

O Brasil evoluiu bastante nos últimos 50 anos, porém, nos tornamos altamente dependentes do modal rodoviário. 

Para que nosso país consiga atingir resultados econômicos mais expressivos (dentro do setor logístico ou não) é essencial que surjam novas opções, mais baratas e que gerem menos impactos ambientais.

Também é preciso pensar em modernização. Ainda é fácil encontrar empresas que utilizam processos ultrapassados e ferramentas menos eficazes. Tudo isso eleva custos e diminui as chances de bons resultados.

Também não podemos deixar de lado outro ponto importante: o uso das matrizes energéticas. 

Com o preço do petróleo nas alturas, é necessário que as empresas e o poder público desenvolvam projetos para elaborar novas formas de captação energética — mais limpas e mais baratas — que vão de encontro às necessidades empresariais. 

Contudo, o futuro “mais próximo” reserva para nós uma logística ainda muito pautada no modal rodoviário e sem grandes mudanças infraestruturais. 

Isso significa que a iniciativa privada terá que buscar inovações para encontrar meios de tornar a logística ainda mais tecnológica e automatizada, visando a redução dos gastos, o fim dos gargalos logísticos e a melhoria nos processos.

A modernização é aliada da logística!

Agora que você entendeu um pouco mais sobre a evolução da logística e suas fases, lembre-se que sua empresa pode (e deve) pensar na modernização do setor para gerar resultados melhores e custos menores.

Tudo isso passa pela modernização processual e adoção de boas ferramentas, seja para solucionar o armazenamento ou etapas de transporte de mercadorias. 

A Equipacenter acredita que o sucesso logístico passa pela seleção criteriosa das melhores ferramentas para o setor, por isso, nosso portfólio de produtos entrega o que há de mais moderno para sua empresa.

Gostou do conteúdo? Assine nossa newsletter no topo direito dessa página e receba dicas e novidades diretamente no seu email!

Compartilhe:
Você também pode gostar

Deixe um comentário