Controle de estoque: 7 melhores tipos e como fazer um controle efetivo

controle de estoque
10 minutos para ler
Compartilhe:

Qual a importância de um bom controle de estoque?

Muitas empresas em início de existência, tendem a criar processos de venda e de comunicação de seus produtos.

Porém, também é muito comum em um determinado momento terem problemas com estoque, como excesso de mercadorias, que resulta na perda de valor dos produtos, ou falta deles, respaldando em não atender às demandas dos clientes.

Ter um controle de estoque é fundamental para o sucesso e efetividade das atividades empresariais.

Porém, como aplicar essa técnica de forma profissional e bem sucedida? 

Nesse artigo, apresentamos tudo o que você precisa saber para a adoção de controle de estoque efetivo na sua empresa. 

O que é controle de estoque e por que é importante defini-lo?

tipos de controle de estoque

O controle de estoque é o acompanhamento e gestão de todas as informações de produtos e mercadorias ao longo do processo de vida útil destes itens dentro da organização.

Ou seja, para muito além de um checklist do que é produzido e armazenado, o controle de estoque diz respeito aos fluxos logísticos internos que essas mercadorias têm no processos produtivos e de venda.

Sendo assim, podemos dizer que, em especial nos mercados varejistas, o estoque é o coração da empresa e o controle torna-se o batimento deste coração, visto que esse acompanhamento tange as ações e decisões de todos os setores da empresa.

Isso porque ele permite à organização conhecer a defasagem ou excesso de mercadorias no armazém, dando respaldo para a tomada de decisões, como:

  • Aumentar ou diminuir a produção;
  • Solicitação de compra de produtos e matérias-primas com fornecedores;
  • Divulgação de produtos com maior ou menor intensidade.

Ou seja, é uma atividade extremamente essencial no planejamento estratégico de uma empresa e que está estritamente relacionada ao capital de giro dela.

Logo, estruturar bem um controle de estoque respalda diretamente no aumento de vendas e na taxa de lucratividade.

Sendo assim, acompanhar e prever demandas evita problemas, como:

  • Perda de mercadoria;
  • Escassez de produtos;
  • Sobrecarregamento espaço físico;
  • Estrago de produtos;
  • Perda de mercadorias pelo prazo de validade;
  • Estocagem desnecessária.

Quanto mais informações o gestor e os setores da empresa tiverem em mãos sobre o seu produto, mais estratégicas serão as tomadas de decisões, respaldando, claro, no crescimento e desenvolvimento da empresa.

Como fazer um bom controle de controle de estoque?

Como vimos anteriormente, o controle de estoque vai além de fazer um checklist dos produtos estocados, ou seja, ter um controle de entradas e saídas de mercadorias.

A coleta e análise de dados para o acompanhamento deste fluxo também carece de alguns requisitos em relação ao que é produzido.

Em geral, é importante observar os seguintes aspectos:

Faça um planejamento de espaço físico

Afinal, o estoque precisa permanecer em algum lugar no intervalo entre ser produzido e adquirido pelo consumidor.

É preciso pensar nos processos de recebimento, armazenamento e despacho das mercadorias, de forma que seja funcional e atenda às necessidades do produto (produtos alimentícios, por exemplo, precisam de refrigeração).

Por isso, esse espaço precisa de extrema organização para o controle de estoque ser efetivo. Adotar o endereçamento logístico é uma excelente forma de colocar isso em prática.

Veja também: Almoxarifado e Estoque: Diferenças, Dicas e Indicadores

Defina as quantidades máximas e mínimas de cada produto

Esse tópico está estritamente ligado à saúde financeira da empresa.

Afinal, definir quantidades máximas e mínimas de cada produto evita que a empresa tenha prejuízos por sobra ou falta de produtos.

Por isso, praticar a acuracidade de estoque é uma forma perfeita de encontrar esse equilíbrio e evitar prejuízos financeiros por meio de um controle mais efetivo.

Estabeleça uma cadeia de fornecedores

Contar com parceiros de negócio confiáveis é de extrema importância quando falamos sobre controle de estoque.

Empresas comprometidas com o seu negócio cumprirão prazos e atenderão às suas demandas, o que simboliza não faltar matéria-prima e atender às demandas previstas.

Por isso, crie uma rede de fornecedores confiáveis e que permitam realizar bons negócios.

E, ressaltamos: produtos parados no estoque são sinônimo de dinheiro investido e sem retorno, com grande probabilidade de perda de valor.

Mas, quais os tipos de controle de estoque que mais se enquadram à sua empresa?

A seguir, apresentamos 7 modalidades. Confira.

7 tipos de controle de estoque mais eficazes

controle de estoque como fazer

Que o controle de estoque é um processo indispensável a todas as empresas, isso é algo indiscutível.

Porém, cada negócio possui suas características e demandas específicas, sendo possível adotar inúmeras possibilidades de aplicar o controle de estoque.

Por isso, para facilitar a vida do profissional de logística, separamos 7 delas para serem avaliadas suas aplicações de acordo com a área de atuação da empresa e demandas previstas.

1. PEPS

PEPS é uma sigla para “primeiro que entra, primeiro que sai”.

Como o próprio nome sugere, esse método propõe uma vazão de mercadorias de forma cronológica, com o intuito principal de não perder a validade do produto.

catálogo equipacenter 2023

Essa técnica é muito utilizada em setores de produtos alimentícios.

2. UEPS

UEPS é a sigla para “último a entrar, primeiro a sair” e, basicamente, é o inverso do método que citamos no tópico anterior.

Nesse processo, produtos novos, que não estão a tanto tempo no estoque, passam a ter um valor maior e, por isso, são priorizados na vazão, conforme a demanda de compra.

3. Custo Médio

Esse método propõe a soma do valor dos produtos no estoque com os novos, dividindo esse valor pela quantidade de produtos.

Assim, é possível saber o custo médio de cada produto, técnica também conhecida como Média Ponderada Móvel (MPM).

4. Just in Time

O Just in Time está ligado ao que mencionamos ao longo do texto sobre um número mínimo de mercadorias no estoque.

Isso significa que será armazenado o mínimo possível, apenas para atender à demanda de venda, sem criar grandes margens de estoque.

É um método que otimiza espaço, mas que precisa ser extremamente preciso e observado constantemente, visto que pode correr o grande risco de faltar mercadoria se não acompanhar a demanda.

5. Curva ABC

controle de estoque curva abc

A curva ABC lida com um tripé da empresa, sendo o giro de estoque, faturamento e lucratividade.

Nesse método, o catálogo da empresa é dividido em 3 grupos, e cada grupo corresponde ao quanto cada produto agrega de valor ao negócio. 

Cada produto deverá pertencer a uma dessas categorias.

A ideia aqui é priorizar o grupo que mais agregue valor à empresa, por exemplo:

  • Grupo A: 15% dos produtos representam 70% do lucro da empresa;
  • Grupo B: 30% dos produtos representam 25% do lucro da empresa:
  • Grupo C: 55% dos produtos representam 5% do lucro da empresa.

A partir de análises e agrupamentos assim, é possível criar gráficos comparativos, como o a seguir, e fazer análises entre o desempenho do setor de vendas a vazão do estoque, tornando mais efetiva a estratégia de vendas.

6. Preço específico

O método de preço específico é unicamente destinado à venda de produtos de alto valor e de baixo giro de estoque, como carros e máquinas agrícolas.

A ideia é fazer a identificação individual de cada produto junto ao seu correspondente valor e dar baixa no sistema conforme for vendido.

Dessa forma, o estoque é calculado com base nas unidades e valores dos produtos ainda disponíveis no estoque.

7. Giro de estoque

O método conhecido como giro de estoque permite uma análise comparativa mais expressiva entre o estoque médio e o volume de vendas em um determinado período de tempo.

A partir dessa análise, a empresa tem uma noção da quantidade de tempo médio que se leva para renovar o estoque, bem como, de acordo com o volume atual de estoque, quanto tempo levará para esvaziar o estoque.

Isso possibilita uma otimização de operação por meio de estratégias de venda que aumentam o giro de vendas do negócio.

5 vantagens de definir o tipo de controle de estoque certo

exemplo de controle de estoque

Se você ainda tem dúvidas sobre os benefícios da aplicação de um bom controle de estoque, a seguir, separamos as cinco principais vantagens da adoção dessa prática.

1. Otimização do espaço físico do estoque

A partir do bom acompanhamento dos fluxos de estoque, é possível prever demandas, como nos métodos que apresentamos no tópico anterior.

Assim, a empresa tem uma noção mais precisa do volume de produção de mercadorias, quais as que dão mais vazão, além da margem de estoque.

Sendo assim, o espaço destinado ao armazenamento destes produtos pode ser otimizado de forma a atender a essas demandas de maneira mais estratégica, se adaptando ao comporte de todas as mercadorias, conforme suas sazonalidades.

2. Otimização de custos

Nessa mesma lógica, o controle de estoque possibilita a previsão de demandas, o que dá ao gestor uma visão mais ampla e precisa das necessidades para atendê-las.

Assim, os custos com produção e estocagem são reduzidos e otimizados, visto que as decisões tomadas serão pautadas em informações concretas e precisas e não em achismos.

3. Redução de desperdícios e prejuízos

Ainda sob a perspectiva de apropriação da informação, não há como negar que com uma estratégia bem definida e com o acompanhamento dos resultados dessa estratégia, há uma expressiva redução de desperdícios e prejuízos.

E aqui não falamos apenas de matéria prima, mas também de desperdícios de energia, demandas, desgaste de máquinas, como também de trabalho humano.

Tudo isso reverbera em maiores acertos para a empresa, sendo possível apenas com o uso das informações fornecidas pelo controle de estoque.

4. Organização de compras

Quando se estabelece quantidades mínimas e máximas de produtos e matérias-primas, é possível se antecipar com as compras e até mesmo fazer melhores negociações.

Assim, é possível fazer o acompanhamento também por meio do número de vendas, como no método da curva ABC.

5. Eficiência na gestão de produção

Em métodos como o just in time e a curva ABC, a produção depende totalmente do controle de estoque, afinal, para se produzir o produto certo e na quantidade certa, as informações advindas do estoque são essenciais.

Controle de estoque: o pulso do coração da empresa

Afinal, em especial nas empresas de varejo, ter um controle de estoque bem feito é fundamental para a saúde financeira e viabilidade das atividades de venda.

E mais do que isso.

Contar com essa ação de forma funcional dá um conhecimento pleno dos fluxos de venda, bem como uma vantagem competitiva de fortalecimento e expansão do negócio.

Gostou deste artigo?

Então, deixe o seu comentário abaixo e assine a Newsletter da Equipacenter para ficar pode dentro de todas as novidades sobre logística no nosso blog.

Compartilhe:
Você também pode gostar

Deixe um comentário