Transporte de Alimentos Congelados: Guia completo de acordo com a legislação

transporte de alimentos congelados
10 minutos para ler
Compartilhe:

Você sabe qual a maneira correta de transportar alimentos congelados?

Se você chegou aqui, sem dúvidas, compartilha da mesma dúvida de diversos brasileiros.

Isso porque, o transporte de alimentos perecíveis, ou seja, daqueles que precisam de um ambiente com controle de temperatura para não se perder (como carnes, laticínios e vegetais) é muito diferente dos não-perecíveis, como grãos, enlatados e conservas.

Os cuidados no transporte desses alimentos precisam ser enormes, logo que correm o grande risco de serem contaminados.

Por essa razão, legalmente, é exigida a adoção de diversas normas sanitárias para que o produto chegue ao consumidor final em ótima qualidade.

Mas, como garantir que isso ocorra? 

É sobre essa questão que conversaremos neste artigo, trazendo orientações e dicas valiosas sobre o transporte de alimentos congelados.

Como fazer o transporte de alimentos congelados?

O primeiro passo para se planejar o transporte de alimentos congelados é entender a função destes produtos, visto que o congelamento, ou ultracongelamento, tem por finalidade sua conservação para não se deteriorar até chegarem ao consumidor final.

Isso significa que a temperatura de conservação deve ser mantida do início ao fim do processo de transporte.

Isso implica em fornecedores, distribuidoras, transportadoras e locais de venda estarem preparados para o recebimento e armazenamento de alimentos congelados pelo período que lhes cabem.

Se esses cuidados não forem tomados, o risco de perda da carga por torná-la imprópria para o consumo é muito alto, o que simboliza um enorme prejuízo monetário, como também de multas provindas da vigilância sanitária.

Falando mais especificamente sobre o transporte de alimentos congelados, é essencial que o modal de transporte utilizado garanta a proteção contra deterioração e contaminação dos produtos.

Para garantir isso, alguns cuidados devem ser tomados, como:

  • Isolação da cabine do condutor com o espaço de armazenamento dos produtos;
  • O veículo utilizado deve ter o certificado de vistoria em dia;
  • É preciso que o veículo tenha estrados e caixas plásticas para o acomodamento dos alimentos;
  • Atenção ao tempo fora do refrigerador, pois cada alimento tem um prazo limite de conservação em transporte;
  • Vedação do piso para não escorrer líquidos para fora do modal de transporte.

Essas são as atenções primordiais para quem trabalha com o transporte de alimentos congelados. 

Porém, para que todo o processo seja, de fato, efetivo, alguns outros cuidados também requerem enorme atenção, que você verá a seguir.

7 cuidados ao fazer o transporte de cargas congeladas

transporte de alimentos congelados legislação

O transporte de produtos congelados exige uma série de normas a serem seguidas, como vimos no tópico anterior.

Porém, assim como toda carga, os alimentos também precisam de um preparo antes, durante e após a operação para que todo o processo seja efetivo e bem-sucedido.

Por isso, confira os cuidados essenciais que devem ser tomados:

1. Manutenção da temperatura correta

O propósito básico do congelamento ou ultracongelamento de alimentos é evitar a proliferação de microorganismos que se propagam em temperatura ambiente ou em altas temperaturas e tornam o produto inviável ao consumo.

Cada alimento possui uma temperatura ideal de congelamento para conservação. Manter essa temperatura é fundamental para que esse processo não se perca.

Por isso, a periódica checagem de temperatura e a sua manutenção é um processo obrigatório para quem executa o transporte destes tipos de produtos.

2. Cheque as etiquetas

Em geral, alimentos congelados são etiquetados com informações sobre a temperatura ideal (que citamos acima), bem como condições de conservação. 

É imprescindível que antes de realizar o transporte, essas informações sejam conferidas para garantir que todas as exigências ali apresentadas estejam sendo seguidas.

Caso não exista essa etiqueta, ou a mesma esteja ilegível, é recomendado que seja feito um reporte ao fornecedor para se certificar de tais informações.

3. Atenção ao prazo de validade

Afinal, se até mesmo produtos não-perecíveis têm prazos de validade, imagine os congelados…

Preste muita atenção nesse ponto, logo que o transporte de qualquer tipo de carga pode sofrer atrasos e se o produto estiver próximo do prazo de validade, pode se perder nesse meio tempo.

Isso, além de simbolizar perda de dinheiro, também pode gerar uma grande dor de cabeça, logo que o transporte de alimentos fora do prazo de validade é uma atividade ilegal.

4. Escolha caminhões adequados

Escolher o modelo ideal de caminhão é essencial para que o seu trabalho seja realizado dentro das conformidades legais e sanitárias.

5. Uso de embalagens e caixas de transportes apropriadas

transporte alimentos congelados

Assim como todo produto a ser transportado, o acomodamento de alimentos congelados precisa ser apropriado e, para isso, existem embalagens e caixas adequadas a essa função.

Além de terem uma maior facilidade de higienização, também facilitam a circulação do ar refrigerado e evitam o acúmulo da umidade que pode deteriorar os alimentos.

6. Acomodação correta dos alimentos no transporte

Ainda muito relacionado ao item anterior, alimentos congelados precisam de espaço entre eles para que o ar resfriado circule, mantenha todo o ambiente na temperatura ideal e torne efetiva as conservações.

Por isso, certifique-se que as caixas e embalagens não estejam amontoadas, impedindo a circulação do ar, mas que também estejam seguros ao serem transportados.

7. Atenção ao manuseio

E, claro, todo o cuidado durante o transporte pode ser totalmente desperdiçado se o manuseio do produto não for feito de forma devida.

Por isso, é obrigatório o uso de EPI’s, como luvas, casacos e galochas para garantir a qualidade do alimento, como também o uso de empilhadeiras no momento de carregar e descarregar o caminhão, evitando impactos e choques.

catálogo equipacenter 2023
banner-empilhadeira

Além disso, é fundamental o treinamento de operadores e motoristas para a realização do correto manuseio destes produtos.

Qual é a legislação para o transporte de alimentos congelados?

como transportar alimentos congelados

Por se tratar de um assunto que tange questões de saúde pública, logo que o consumo de produtos estragados pode gerar riscos à saudabilidade do consumidor, há normas que regularizam o transporte de alimentos congelados no país.

A nível nacional, o órgão regulador responsável por essa regulamentação é a Anvisa, a qual também fiscaliza o cumprimento destas normas.

A resolução 275 deste órgão estabelece o procedimento operacional obrigatório destinado às empresas (incluindo as transportadoras) que trabalham com produtos alimentícios.

Ainda sob todo o território nacional, é válida a Portaria SVS/MS 326/1997, lei que prevê a forma correta de produção, manuseio, transporte e armazenamento de alimentos perecíveis e estabelece os cuidados de higiene, manipulação e conservação ao se realizar o transporte.

Porém, é importante frisarmos que estados e municípios também podem estabelecer normas específicas para a sua região, destinadas ao transporte deste tipo de produto e que devem ser cumpridas por embarcadores e transportadoras.

É fundamental, portanto, que o transporte interestadual de produtos alimentícios congelados observe todos os requisitos legais e locais por onde passar.

Além disso, quando falamos sobre obrigatoriedades legais, também é importante ter em dia e portar o certificado de inspeção sanitária com informações como:

  • Tipo de carga;
  • Dados do transportador;
  • Descrição do carregamento;
  • Demais informações que especifiquem o trabalho a ser realizado.

Isso garante menores dores de cabeça em uma possível inspeção pelo órgão fiscalizador responsável, por estar dentro da lei.

Qual a temperatura para o transporte de alimentos congelados?

A temperatura ideal para o transporte de alimentos congelados é estabelecida pela Resolução Nº 35 de 1977, da Comissão Nacional de Normas e Padrões para Alimentos, sendo:

  • Abaixo de -18°C, para produtos rapidamente congelados, podendo ter uma leve variação de até -15°C em curtos períodos de tempo.

Isso significa que o caminhão que transportará esse tipo de alimento deverá, por regra, refrigerar a uma temperatura igual ou abaixo desta durante todo o trajeto de transporte.

4 erros que devem ser evitados ao fazer o transporte de alimentos congelados

Como vimos até aqui, todo cuidado é pouco quando falamos sobre transporte de alimentos congelados.

Diversas empresas, porém, cometem verdadeiros equívocos que comprometem não somente a integridade da carga, mas até mesmo a reputação do empreendimento, tomando sanções e prejuízos legais que impactam profundamente todo o negócio.

Por isso, abaixo, separamos alguns erros inadmissíveis, que devem ser evitados a todo custo: 

1. Jamais transporte alimentos congelados em veículos inadequados

Como vimos, existe toda uma exigência legal em torno do uso e escolha de veículos ideais para o transporte de alimentos congelados.

É de extrema importância seguir as orientações dos órgãos reguladores para a execução desta atividade.

2. Nunca usar gelo como forma de refrigeramento 

Todo produto deve, por norma, ser mantido em estado congelado por meio de uma câmara fria para ser preservado e manter-se apto ao consumo.

3. Nunca deixe produtos fora do refrigerador

A própria Anvisa orienta que o produto deve permanecer em permanente congelamento até que chegue ao consumidor final.

Isso significa que em todo o processo de deslocamento do alimento deve ser pensado para que o mesmo permaneça constantemente em um refrigerador ou câmara fria.

Por isso, a retirada de congelados deve ser feita apenas no momento de carregar o veículo que irá realizar o transporte.

4. Desatenção à temperatura

temperatura de transporte de alimentos congelados

Como vimos ao longo do texto, o transporte de produtos congelados precisa ser feito em, no mínimo, -18°C.

A recomendação, portanto, é que mantenha a temperatura do baú refrigerado por volta de -40°C. Assim, mesmo que haja variações, essa temperatura mínima estará garantida.

Qual a importância de uma boa logística para transportar alimentos congelados?

Realizar o transporte de qualquer tipo de alimento não é uma tarefa simples, quanto mais quando falamos de alimentos congelados.

Como vimos até aqui, essa prática requer diversos cuidados, logo que o não seguimento de processos obrigatórios respalda em diversos prejuízos, como perda monetária, perecibilidade de mercadorias e autuações legais.

O transporte de produtos congelados deve, portanto, ser planejado para que haja uma boa execução de cada etapa.

Por isso, para iniciar o processo logístico, é essencial que já haja uma rota definida, a qual a carga passará.

Ela corresponde ao trajeto detalhado do ponto de origem do produto até o seu destino final, contemplando todas as paradas e trocas de ambientes que a carga passará.

Esse planejamento é obrigatório, pois todos os locais dessas etapas precisam estar aptos para o recebimento e armazenamento da carga pelo tempo que lhes cabem.

Em todo o processo de transporte, também é imprescindível que o veículo tenha o local de armazenamento com compartimentos lisos, resistentes, atóxicos e laváveis, além de, obviamente, ser refrigerado.

Logo, o transporte desses produtos precisa ser realizado com agilidade e responsabilidade, visto o alto potencial de perecibilidade que produtos congelados carregam consigo.

Logística de alimentos congelados requer muitos cuidados!

Afinal, como vimos ao longo deste artigo, são diversos os detalhes legais e de processos que requerem atenção total.

Porém, seguindo as dicas que vimos aqui, você estará munido das informações mais importantes, seja para executar o serviço ou ou observar se a empresa contratada atende a todos os requisitos.

Gostou deste artigo e quer ficar por dentro de outros assuntos importantes sobre logística?

Então, assine a Newsletter da Equipacenter para ter, em primeira mão, todas as novidades do nosso blog.

Compartilhe:
Você também pode gostar

Deixe um comentário