Monitoramento de Lavoura: Guia completo para controle e redução de custos

monitoramento de lavoura
9 minutos para ler
Compartilhe:

Você, produtor rural, pode ser considerado um herói. 

Não queremos puxar saco. É um fato!

Vocês estão sujeitos às intempéries do clima. 

Sem qualquer aviso, podem enfrentar uma seca terrível ou uma enchente avassaladora. 

E, além disso, precisam lidar com uma variedade enorme de pragas e ervas daninhas que podem atacar a lavoura, sem mais nem menos. 

E o cultivo de lavouras, como sabemos, não é barato. 

Por vezes, os profissionais dessa área passam meses trabalhando e uma semana chuvosa pode destruir tudo.

Assim como uma praga descontrolada, capaz de destruir em poucos dias uma lavoura bem cuidada. 

Felizmente, ao contrário das mudanças climáticas, que são inevitáveis, as pragas e as doenças podem ser prevenidas.

E este artigo vai ensinar tudo o que você precisa saber sobre o monitoramento de lavouras, a ferramenta mais eficaz de prevenção contra doenças e pragas. 

O que é o monitoramento de lavoura?

tipos de monitoramento de lavoura

O monitoramento de lavoura consiste em identificar uma determinada praga antes que ela cause danos à lavoura. 

Portanto, o processo também é fundamental para evitar danos durante todo o período de cultivo.

Existem, inclusive, estatísticas que comprovam quão danoso um ataque de pragas pode ser.

Os impactos causados na produtividade de cultivos de milho, algodão e soja variam de 9,5% a 50% conforme o tipo de doença analisada, de acordo com estudo encomendado pela Escola de Agricultura da Universidade de São Paulo (USP).

Esse tipo de manejo de lavouras permite a produção sustentável e de qualidade, com respeito ao meio ambiente e à saúde do consumidor e do próprio produtor.

Em resumo: se houver monitoramento, o agricultor tem mais chances de ter tempo hábil para realizar o controle populacional dos insetos. 

Assim, eles deixam de ser prejudiciais à qualidade ou ao rendimento da lavoura. 

Ah! E tem mais um motivo muito importante para que você, produtor, faça o devido monitoramento da lavoura. 

Ao controlar as pragas, é possível quantificar as necessidades de pesticidas

Assim, você não desperdiça em produtos, e isso resulta em maior produtividade, menos gastos e, é claro, mais lucro para a produção.

Além disso, os pesticidas precisam ser aplicados corretamente.

Se houver excesso ou escassez, pode comprometer a saúde da plantação e das pessoas envolvidas no processo. 

E por meio desse controle, é possível avaliar quais produtos estão funcionando e quais as quantidades apropriadas. 

Você garante um uso equilibrado e adequado de pesticidas, sem prejudicar a lavoura, e ainda colhe o resultado, traduzido em maior produtividade.

Deu para se convencer?

Quais são as principais doenças que atacam as lavouras?

Doenças causada por fungos

Não queremos soar alarmistas, mas existem algumas várias doenças que podem acometer sua lavoura.

Os fungos, por exemplo, são responsáveis por 70% das doenças nas plantações de soja e de milho.

E é um desastre, porque os fungos se propagam por esporos (estruturas produzidas em grande quantidade por bactérias, fungos e plantas) e podem sobreviver no solo até o próximo plantio.

Já imaginou?

As doenças causadas por fungos são: 

  • Antracnose;
  • Cancro da haste;
  • Crestamento foliar de cercospora;
  • Ferrugem;
  • Podridão radicular de corynespora;
  • E vários tipos de manchas (alvo, púrpura, de mirotécio, olho-de-rã e parda e requeima). 

Doenças causada por vírus

Há, ainda, os vírus, que também podem afetar plantas com baixo teor nutritivo. 

Esses vírus dependem das plantas para continuarem vivos e podem se infiltrar por meio de ranhuras causadas por insetos.

As principais doenças causadas por vírus, especialmente em plantações de soja, são:

  • Mosaico cálico;
  • Mosqueado do feijão;
  • Mosaico comum da soja;
  • Necrose da haste
  • E queima do broto.

Doenças causada por bactérias

Embora as bactérias só sobrevivam em ambientes favoráveis, podem provocar danos não só nas folhas, mas também nas demais estruturas da cultura

Um pesadelo, em resumo. 

Outra praga que acaba destruindo lavouras é a lagarta

Infestações de lagartas podem causar danos às fases vegetativas e reprodutivas da cultura, e algumas espécies desses insetos podem se multiplicar rapidamente. 

A boa notícia é que todas essas doenças podem ser evitadas se houver um monitoramento de pragas adequado.

Assim que o produtor identificar uma infestação, seja qual for a doença, poderá aplicar um inseticida  eficaz para o combate. 

6 tipos de monitoramento de lavoura para evitar a manifestação de pragas e reduzir custos

1) Manejo Integrado de Pragas (MIP)

O Manejo Integrado de Pragas (MIP) associa vários métodos para combater as pragas que atacam a lavoura. 

A estratégia envolve controle químico e biológico, tratamento de sementes, cobertura do solo e rotação de culturas, por exemplo.

Ao utilizar essa tática, o agricultor será capaz de tomar decisões rapidamente e adotar a medida melhor indicada para solucionar o problema, de forma imediata.

2) Amostragem do solo

Como comentamos, alguns fungos sobrevivem no solo entre um plantio e outro. 

catálogo equipacenter 2023

Isso pode acarretar em graves perdas antes mesmo da semeadura. 

Para evitar esse problema, é importante detectar essas pragas com bastante antecedência

Esse tipo de monitoramento pode ser feito nas lavouras de soja e de milho, mas é especialmente importante na segunda, devido à agressividade das pragas subterrâneas.

3) Armadilhas

Parece engraçado, mas funciona!

O produtor precisa colocar armadilhas – facilmente encontradas no mercado – em vários locais da lavoura. 

Armadilhas luminosas, adesivas ou com feromônios são algumas que ainda são utilizadas e que trazem resultados.

Assim, será possível identificar pragas.

4) Pano de batida

A técnica funciona especialmente para detectar lagartas e percevejos na cultura da soja. 

O método possibilita a detecção de vários insetos na lavoura. 

Recomenda-se que o método seja utilizado nas horas mais frescas do dia. É quando os insetos se movimentam menos.

O bom e velho pano de batida consiste, literalmente, em enrolar um pano (1 metro de comprimento x 1,5 metro de largura) entre as fileiras de soja. 

Chacoalhe a planta escolhida em cima do pano. E aí é só observar quais insetos estão presentes.

Faça isso em vários pontos da lavoura.

5) Exame de plantas

o que é monitoramento de lavoura

Ok, digamos que você está lendo esse texto tarde demais e que a sua lavoura já foi atacada por alguma praga.

Em vez de procurar outra profissão, você pode tentar mensurar a extensão do dano causado nas plantas.

É importante utilizar escalas pré-estabelecidas para fazer esse controle periódico. 

6) Manejo Integrado de Doenças (MID)

Basicamente a mesma coisa que o MIP, mas com o foco em doenças

O MID, inclusive, é baseado no MIP.

É o conjunto de técnicas que garante a proteção dos cultivos contra doenças. 

Isso porque uma doença descontrolada que se espalha por uma lavoura pode acarretar na perda total da produção. 

Como a tecnologia contribui para o monitoramento de lavoura?

monitoramento de lavoura com drone

A inevitável aplicação da tecnologia e da inovação na agricultura veio para mudar esse cenário de perdas inevitáveis nas lavouras. 

O monitoramento das lavouras faz parte do conceito geral de agricultura de precisão, estratégia de gestão que utiliza ferramentas tecnológicas avançadas para o levantamento de dados de atividades agrícolas.

O próprio Manejo Integrado de Pragas (MIP) funciona tão bem justamente porque está aliado a diversas ferramentas tecnológicas que facilitam a vida do produtor. 

Algo que tem sido amplamente utilizado é o drone. 

Por meio de sensores e câmeras, o monitoramento de lavoura com drone tem a vantagem de garantir dados e informações sobre o estado das plantas praticamente em tempo real, sem um esforço de fiscalização in loco, planta por planta.

Ao detectar uma área fora do padrão na lavoura, o produtor pode agir rapidamente para recuperar apenas aquele ponto.

Além de trazer agilidade, também reduz custos e evita desperdício de produtos

Outra ferramenta que é indispensável atualmente é o GPS agrícola.

O GPS agrícola permite que os agricultores consigam reduzir expressivamente os desperdícios e aumentar os resultados da safra. 

Por meio dessa ferramenta, o produtor pode coletar informações geoespaciais sobre as plantas, as pragas e os solos e, com esses dados em mãos, tornar o gerenciamento da produção agrícola bem mais eficiente.

gps agrícola

Para quem trabalha com agricultura de precisão, é um equipamento fundamental e indispensável. 

No entanto, antes de comprar qualquer GPS agrícola, é preciso entender as diferenças entre as marcas de GPS agrícola e verificar quais modelos mais se enquadram no perfil da sua lavoura. 

Veja, neste link, alguns tipos de GPS agrícola.

O formato digital de acompanhamento de lavouras promove uma visão geral da saúde da plantação, de forma rápida e em tempo real. 

E, às vezes, é possível monitorar mesmo a distância. 

O produtor pode se valer de imagens de satélite para obter mapas da lavoura.

As imagens são captadas por lentes de alta resolução, capazes de registrar padrões de cores e relevo, por exemplo. 

Ao comparar essas imagens, é possível identificar problemas rapidamente, acelerando a tomada de decisão de combate. 

Algumas ferramentas legais, que valem a pena e são bastante utilizadas na agricultura de precisão, são o Climate FieldView, o Granular Insights e o NetWord Agro

Experimente-os e tire suas próprias conclusões!

A lavoura precisa estar sempre “no radar” do agricultor

Ninguém disse que ser produtor rural seria fácil, não é mesmo?

Embora a variedade de doenças e pragas que podem atacar uma lavoura seja assustadora, as ferramentas de prevenção são igualmente vastas.

Não economize na prevenção para não ter de gastar o triplo no combate e na recuperação do cultivo.

 Já utiliza alguma das ferramentas que citamos? Conte sua experiência para nós.

Compartilhe:
Você também pode gostar

Deixe um comentário