Modais de Transporte: Tabela completa com vantagens e desvantagens

modais de transporte
13 minutos para ler
Compartilhe:

Você sabe qual é o modal de transporte ideal para o seu negócio?

A locomoção de produtos e mercadorias é uma peça fundamental na viabilidade de funcionamento logístico de qualquer empreitada.

Entender qual mais se adequa à sua realidade é de extrema importância para aproveitar ao máximo suas vantagens e correr os menores riscos possíveis com as desvantagens intrínsecas a cada um dos modos.

Por isso, para não correr quaisquer prejuízos devido à má escolha, neste artigo trazemos informações importantes sobre o que você precisa saber sobre modais de transporte.

O que são modais de transporte?

Modais de transporte nada mais são que as formas de transporte de mercadorias e produtos, ou seja, a locação de uma carga.

O primeiro ponto que precisamos saber quando falamos sobre modais de transporte é entender que não existe um modo melhor que outro por si só, mas sim, características distintas que melhor se adaptam às necessidades de cada tipo de carga.

Outro ponto importante a ser levantado é que cada método apresenta vantagens e desvantagens de seu uso e apenas conhecendo os pontos fortes e fracos de cada um, é possível fazer uma boa otimização de tais transportes.

Alguns deles sequer são possíveis de serem utilizados dependendo da carga a ser transportada, em razão de indisponibilidade ou incompatibilidade com o produto.

Por isso, antes de escolher qual modal de transporte será utilizado, alguns pontos são importantes a serem considerados, tais como: 

  • Velocidade de entrega;
  • Frequência de envio;
  • Credibilidade da transportadora;
  • Capacidade e disponibilidade de atendimento;
  • Custo do serviço prestado.

Principais modais de transporte no Brasil (pontos fortes e fracos)

1) Rodoviário

modal rodoviário

Sem dúvidas, o Modal Rodoviário é o meio mais utilizado no Brasil para o transporte e deslocamento de mercadorias, logo que as rodovias do país conseguem conectar as regiões de norte a sul.

Também por essa característica, muitas empresas têm preferência por essa forma de transporte, logo que é possível traçar diversas rotas, otimizando o tempo de entrega.

Além disso, nesta modalidade os valores são mais competitivos e há uma maior variedade na possibilidade de transporte de mercadorias, logo que são realizadas em veículos, como carros, furgões e caminhões (meios de transportes mais acessíveis).

Vantagens:

  1. Menor exigência de embalagem e pouca burocracia na emissão de documentos necessários para transporte;
  2. Acessibilidade, logo que chega a praticamente todo canto do país;
  3. Agilidade e facilidade no processo de contratação.

Desvantagens:

  1. Limite da capacidade de transporte;
  2. Maior risco de roubos, extravios e perdas de mercadorias;
  3. Valor de frete elevado devido ao preço do combustível e pedágios.

2) Ferroviário

modal ferroviário

Como supõe-se, trata-se do transporte via trilhos, em geral por trens, comumente utilizado para transporte de cargas pesadas e de grandes volumes, como commodities.

Vantagens:

  1. Baixo custo em razão do valor do combustível necessário para movimentação e de menores taxações;
  2. Maior segurança, visto o menor risco de acidentes e roubos;
  3. Excelente escolha para transportes de longas distâncias e grandes quantidades de cargas

Desvantagens:

  1. Poucas opções de rotas, logo que são fixas;
  2. Necessidade de integração com outro tipo de modal para finalizar entrega;
  3. Baixa flexibilidade, logo que o funcionamento do transporte se dá pelo horário de atendimento da empresa transportadora.

3) Hidroviário

modal hidroviário

No modal hidroviário, as locações são feitas via barcos, por meio de rios ou pelo mar.

Assim como o ferroviário, também é muito comum a utilização deste meio para o transporte de commodities, porém, pelo maior tempo de locomoção, é indicado para envios que não precisam de um prazo rápido de entrega.

Vantagens:

  1. Baixo custo de frete;
  2. Menores riscos de roubos e extravios;
  3. Capacidade de transporte de grandes cargas.

Desvantagens:

  1. Transporte lento pela programação dos navios (geralmente atendem mais de uma empresa);
  2. Maior burocracia na emissão de documentos necessários;
  3. Necessidade de integração com outro meio de transporte para finalização da entrega.

4) Dutoviário

modal dutoviário

Esse tipo de modal é bem específico, logo que trata-se da locomoção de um produto via dutos, sejam aparentes, subterrâneos ou marítimos, muito utilizados para fluidos líquidos, granulares e gases.

Vantagens:

  1. A tecnologia utilizada apresenta baixo custo e pouca necessidade de energia para seu funcionamento;
  2. Os riscos de acidentes, perdas e roubos são menores pelo fato do transporte fixo, ou seja, a movimentação é apenas da carga;
  3. Também em razão disto, a necessidade de mão de obra, tanto para a operação, quanto para a manutenção, é menor, o que reduz erros humanos.

Desvantagens:

  1. Altos custos de construção de malhas dutoviárias, além de poucas empresas terem permissão para isso;
  2. Sem flexibilidade de rotas, logo que o percurso é fixo;
  3. Apesar dos baixos riscos de acidentes, quando ocorrem, refletem em grandes impactos ambientais.

5) Aéreo

modal aéreo

O transporte aéreo é, de longe, o mais rápido, entre os modais de transporte anteriores.

Pela ausência das limitações físicas que os transportes terrestres e hídricos apresentam, o modal aéreo possui maior agilidade e consegue percorrer grandes distâncias em pouco tempo.

Como você pôde observar, cada modal apresenta características únicas e, para cada um deles, há vantagens e desvantagens a serem consideradas na hora de sua escolha, como mostraremos a seguir.

Vantagens:

  1. Prazo de entrega rápido e ágil, em razão da não limitação geográfica terrestre;
  2. Aeroportos localizados em grandes centros urbanos;
  3. Baixo custo com seguro;

Desvantagens:

  1. Altíssimo custo de frete;
  2. Limitação de quantidade, peso e tamanho da carga transportada;
  3. Necessidade de integração com outro tipo de modal para concretização da entrega.

Qual a diferença entre transporte modal, intermodal e multimodal?

Como você pôde ver, para alguns tipos de locomoção, apenas um tipo de modal não é o suficiente para que a carga chegue ao seu destino, tendo a necessidade de utilizar mais de um meio para este fim.

Quando isso ocorre, as operações são conhecidas como intermodal e multimodal. Veja as diferenças entre elas:

Modal (ou unimodal)

Esse é o método mais simples, o qual vimos até aqui.

Neste modo, um único modal é escolhido para completar a entrega, desde a saída da origem, até a entrega no destino.

Intermodal

No processo intermodal, são utilizados mais de um modal para que a carga chegue ao destino correto.

Ou seja, se uma carga que precisa ser entregue com urgência sai de Sorocaba (SP), com destino à Porto Alegre (RS), do distribuidor na cidade, o produto vai de caminhão até o aeroporto em São Paulo. 

De lá, é utilizado o modal aéreo até Porto Alegre e, do aeroporto da cidade, vai de caminhão novamente até o destino de entrega.

Se nesse processo logístico são contratadas operadoras diferentes para cada etapa do trajeto, a operação é conhecida como Intermodal.

Multimodal

A operação multimodal, por sua vez, segue etapas semelhantes.

Imagine a mesma situação do produto que sai do interior paulista com destino à capital gaúcha, com o mesmo grau de urgência.

Também será necessária a utilização de vários modais para que o produto chegue no tempo desejado ao seu destino.

Apesar da operação ser, em prática, a mesma, o que a caracteriza como multimodal é a utilização de um único operador logístico, conhecido como Operador de Transporte Modal (OTM).

Ou seja, nos três trechos do percurso (Sorocaba – São Paulo / São Paulo – Porto Alegre / Porto Alegre – destino de entrega), apenas um OTM será o responsável por esta entrega.

catálogo equipacenter 2023

Isso implica em algumas questões, como:

Documentação

Enquanto no multimodal é emitido um único documento, no intermodal cada operador emite seu próprio, correspondente ao percurso de sua responsabilidade.

Tipos de contrato

No intermodal, a quantidade de contratos será correspondente à quantidade de operadores logísticos envolvidos na entrega, cada um com seus respectivos preços, cláusulas e prazos.

Já no multimodal o contrato é único, logo que existe apenas um OTM. Desta forma, o operador logístico é responsável pela emissão de todos os documentos necessários e seguros, conforme acordado com o contratante.

Responsabilidades

A mesma ideia é aplicada aqui, sendo que, no intermodal, cada operador tem responsabilidades específicas para o pedaço de trajeto de seu cuidado (acordadas em contrato) enquanto que, no multimodal, toda a responsabilidade é do OTM.

Modais de transporte no agronegócio: desafios e soluções

Não há como negar que o agronegócio é um dos setores que mais crescem no país e é responsável por grande parte da economia gerada aqui.

Como reflexo disto, o Brasil consolidou-se nos últimos tempos como um dos grandes produtores agrícolas do mundo, trunfo que se dá, em muito, pela grande extensão continental do país, com terras cultiváveis.

Porém, o que de um lado as características de um país continental traz benefícios, por outro lado apresenta grandes desafios de logística no agronegócio e de escoamento dos frutos germinados na nossa terra.

Tendo isso em vista, o processo logístico de saída dos produtos agrícolas da fazenda, até a chegada ao posto de venda, ou processamento da etapa seguinte, sofre algumas dificuldades, tais como:

Perecibilidade

Não é nenhuma novidade que os alimentos têm prazo de validade. 

As longas distâncias percorridas são sempre grandes questões a serem pensadas, logo que ela podem resultar (e, muitas vezes, realmente resultam) em verdadeiras perdas de safras inteiras.

Além disso, a questão da perecibilidade também está atrelada ao armazenamento, logo que, pelo longo período de trajeto e com possíveis atrasos, a má armazenagem também se reflete em perdas.

São verdadeiros riscos que precisam ser extremamente calculados.

Dependência do modal rodoviário

Embora o Brasil disponha de rodovias que cruzam todo o país, há pouco investimento em outras formas de modais de transporte.

Logo, há uma verdadeira dependência deste meio para a realização das entregas que, em casos de commodities agrícolas, facilmente poderiam ser feitas por meio de navios ou trens. 

Tal dependência reflete-se em problemas como a variação e constante aumento do preço dos combustíveis, situação de trabalho precário aos motoristas e a grande incidência de furtos e roubos de cargas, colocando também em risco a vida dos trabalhadores do transporte.

Estradas e portos com péssima infraestrutura

Outro grande problema da dependência das estradas é a falta de uma boa infraestrutura capaz de suportar todo escoamento centralizado neste único meio.

A malha rodoviária brasileira ainda possui grandes problemas de estradas pouco planejadas, algumas esburacadas, e até mesmo sem pavimentação, o que dificulta, e muito, a movimentação de cargas dentro do país.

E ao chegar aos portos, há também um constante congestionamento, visto que os principais portos do país estão localizados nas regiões sul e sudeste, o que gera grande centralização de cargas de todo o Brasil nestes locais e consequente lentidão de envio.

Altos custos logísticos

E, claro, a conjuntura de todos estes fatores se refletem nos custos elevados para que o produto chegue ao seu destino.

Porém, é importante também lembrar que tais custos não são apenas ao produtor agrícola, respalda também em toda a cadeia produtiva, inclusive no consumidor final, com alta nos preços dos produtos para viabilizar todo o processo.

Tecnologia aliada ao produtor agrícola

Fica evidente como que o produtor rural tem constantes desafios logísticos a serem superados diariamente.

Como falamos anteriormente, soluções para melhoria dos modais de transporte do agronegócio seria o maior investimento em malhas ferroviárias e hidroviárias.

Isso deixaria de sobrecarregar rodovias e portos, aumentaria a velocidade de escoamento e tornaria os processos menos nocivos ao meio ambiente.

Porém, sabemos que esta é uma solução demorada e sem muitas previsões de acontecerem.

Então, como contornar tal situação?

Se os custos da logística no agronegócio são inevitáveis e inerentes a eles, a solução para isso está nos processos anteriores, ou seja, ainda na lavoura.

Reduzir os custos do cultivo agrícola pode refletir de maneira positiva nos processos em torno do transporte modal, visto que o menor custo para produzir compensa os gastos logísticos.

E, nesse sentido, a tecnologia vem de encontro ao produtor rural, oferecendo soluções de cuidado personalizado da plantação, reduzindo os custos ainda no momento de cultivo.

GPS agrícola, drones, sensores e softwares são alguns exemplos de tecnologias que contribuem para este cuidado personalizado e compõem o que é conhecido como agricultura de precisão.

Vale a pena conhecer mais a fundo sobre a tecnologia na agricultura que, para além de reduzir os custos que viabilizarão os processos logísticos, também garantem maior competitividade no mercado nacional e internacional.

A importância da escolha de um modal de transporte para a logística da sua empresa

Com base em tudo o que vimos até aqui, saber escolher o modal de transporte correto para a sua empresa será fundamental para que o processo logístico seja viabilizado de maneira que não gere prejuízos decorrentes da má escolha.

Por isso, além das características de cada modal, também é preciso levar em consideração fatores como:

  • Tipo de carga (manufaturada, orgânica);
  • Condição de transporte (cargas orgânicas, por exemplo, necessitam de sacas bem costuradas para preservação e vedamento do produto);
  • Unitização (como o produto pode ser transportado de forma unitária? Em contêineres, sacas, caixas…?);
  • Volume e quantidade;
  • Fonte e destino final.

Tendo em vista tais informações, é preciso também considerar algumas questões em torno da operação envolta no processo, com fatores como:

Carregamento

No momento de ser colocado em algum modal, como será o carregamento? Por guincho? Elevado? 

Aqui, é fundamental a utilização de equipamento de qualidade, que não prejudique a carga, como paleteiras e empilhadeiras seguras.

Acondicionamento

Entender as características do produto é essencial para saber qual o tipo de acondicionamento ideal para o seu transporte. 

Por exemplo, um caminhão aberto não atende ao transporte de um produto frágil. Ou então, ou um produto que precise de refrigeração necessita de um veículo adaptado para isso, e assim por diante.

Entrega

A entrega é um fator tão importante quanto o carregamento.

Imagine, por exemplo, chegar ao destino e o local não oferecer suporte para descarga do produto?

Modais de transporte: a alma do transporte logístico

Saber escolher qual modal melhor se adapta a realidade da sua empresa é fundamental para o sucesso logístico dela.

Por isso, antes de fazer o extravio é necessário checar cada um dos detalhes importantes que apresentamos neste artigo, pois só assim a escolha será assertiva e vantajosa.

Mas, agora que você está mais inteirado sobre este universo, o seu processo de escolha será mais fácil e eficiente.

Compartilhe:
Você também pode gostar

Um comentário em “Modais de Transporte: Tabela completa com vantagens e desvantagens

  1. Material excelente para trabalhar nos cursos profissionalizantes dos Estados, onde são disponibilizados poucos materiais para que possamos transmitir conhecimento para os jovens. Também um desafio enorme para nós educadores para inserção da classe mais baixa da sociedade para entrada no mercado de trabalho cada vez mais competitivo.

Deixe um comentário