Colheita do Café: Guia de Métodos e Cuidados

colheita do café
12 minutos para ler
Compartilhe:

Se você é produtor rural, ou gestor de agronegócio, sabe que o plantio do café requer verdadeiros cuidados.

Antes dessa preciosidade chegar ao paladar de tanta gente ao redor do mundo, e com qualidade, há diversos processos que antecedem o seu coar, como é o caso da colheita do café, uma das etapas mais importantes deste ciclo.

Porém, para garantir a máxima otimização da lavoura e um produto de alta qualidade, o café precisa ser colhido corretamente e no tempo certo, afinal, os prejuízos podem ser enormes se alguns cuidados não forem tomados nessa etapa.

Quer saber mais?

Nesse artigo conversaremos sobre a colheita do café, esse estágio essencial que requer atenção especial para não perder todos os esforços aplicados no longo período de cultivo do café.

Qual é a importância de uma boa colheita?

Uma boa colheita é sinônimo de café de qualidade.

Isso porque o processo de escolha das cerejas (nome dado ao café ainda no pé, em ponto de maturação) é o primeiro passo de triagem dos melhores frutos.

Mesmo que as cerejas ainda passem por outras etapas de seleção após a colheita, se estas são realizadas apenas com os frutos maduros, toda a cadeia seguinte é facilitada e otimizada, antes mesmo de sair da fazenda.

Por isso, é essencial ao produtor conhecer o café que está cultivando e o momento ideal da sua colheita.

Quando acontece a colheita do café?

O momento correto de colheita do café se dá quando o fruto passa para o estágio de maturação (cereja).

A característica de maturação pode ser percebida quando o café passa da coloração verde e se torna vermelho ou amarelo, dependendo da qualidade do mesmo,  aproximadamente seis meses após as primeiras cerejas brotarem no pé.

Em geral, esse estágio passa a ser presente nas plantas de café em épocas de seca ao longo do ano.

Ou seja, no Brasil a colheita do café acontece no período que vai de março a setembro, aproximadamente.

Por ser um longo espaço de tempo, o indicado é que a colheita seja feita quando a maior parte dos frutos estiverem em estágio de cereja, com, no mínimo, 80% da planta com frutos já maduros.

Nesse caso, o café não deve estar nem verde (conhecido como chumbinho), tão menos em estágio de pós-maturação (chamados de passa, ou secos).

Esses cuidados são extremamente importantes pois, ao não segui-los, o processo de colheita refletirá em grandes desperdícios, desgaste da plantação e desvalorização do produto.

3 melhores métodos da colheita do café

colheita mecanizada do café

Para além de saber o momento certo da colheita, também é importante entender quais métodos são os mais recomendados, logo que sua escolha também interfere no sucesso desta etapa.

1) Colheita Manual

A colheita manual é a mais antiga forma de catação do café.

Como o nome sugere, todo o processo é feito de forma manual, com a força braçal dos trabalhadores para execução do serviço.

É um método que pode ser realizado de duas formas:

  • Seletiva: Nessa técnica, a colheita se dá pela escolha dos frutos maduros no pé. 

Embora seja importante que a grande maioria esteja já em estado de maturação no momento da colheita, há variedades de café que amadurecem irregularmente.

Nestes casos, é indicado realizar a coleta seletiva.

  • Derriça: Na técnica conhecida como derriça, os frutos na planta são colhidos em sua totalidade, independente do estágio de maturação de cada um.

Nela, é estendido alguma tela ou tecido, nos quais caem as cerejas. Para isso, o pé precisa estar podado da maneira correta para que seja acessível o recolhimento das cerejas.

Esse estilo de colheita manual é muito comum para qualidades de café que têm um processo de maturação mais uniforme, na qual a retirada dos frutos em sua totalidade se torna mais proveitosa.

A colheita manual do café é o processo que demanda mais tempo, esforços e trabalhadores, porém, é também o que garante a melhor qualidade e consistência do café, resultando em valores mais altos no momento da venda.

2) Colheita Semimecanizada

Na colheita semimecanizada, o trabalhador tem o auxílio de uma ferramenta chamada derriçadeira, uma espécie de “mão vibratória” que o auxilia na retirada do café da planta.

Assim como na derriça manual, nesse processo também é colocado um pano ou tela no chão e, com a ajuda da derriçadeira, a planta é chacoalhada, fazendo os frutos maduros caírem.

Pelo movimento que a ferramenta realiza, podem ocasionar a queda de folhas e galhos junto com o café.

Por isso, após a colheita, é feita uma triagem prévia para a retirada destes elementos.

3) Colheita Mecanizada

Por fim, a colheita mecanizada do café é feita por meio de máquinas específicas, ou seja, colheitadeiras ou derriçadeiras de café, que podem ser tracionadas por tratores, ou terem propulsão própria.

Tais máquinas fazem todo o trabalho, desde a própria derriça, recolhimento, abanação e descarga das cerejas.

A utilização de tais máquinas, porém, precisa ser realizada de forma planejada, logo que para sua funcionalidade as mudas de café precisam ser plantadas com espaçamento suficiente para sua passagem, estarem alinhadas e em terreno plano.

Como saber qual método é o mais adequado para a minha lavoura?

É importante frisarmos que não existe método de colheita do café melhor ou pior, mas sim, mais adequado à realidade de cada plantação.

Por isso, para facilitar seu processo de escolha, três aspectos devem ser levados em consideração:

1) Custos

Sem dúvida, os custos de operação devem ser levados em consideração, e talvez seja o primeiro a pesar na hora de escolher qual método de colheita utilizar.

Temos, então, dois pontos a serem analisados.

O primeiro é pela colheita manual. Optar por ela significa um alto custo com pessoal para a execução do trabalho.

Além disso, existe a possibilidade de não conseguir trabalhadores o suficiente para a demanda de trabalho necessária, o que pode resultar também em perdas.

Mas, por outro lado, é o método que garante uma receita líquida maior em relação ao valor de venda.

O segundo ponto a analisar é o custo envolto do processo de mecanização da colheita do café.

Nesse caso, os gastos são referentes aos custos de aquisições das máquinas e suas consequentes manutenções.

catálogo equipacenter 2023

Em um primeiro momento, são altos, porém, os mesmos são diluídos ao longo do tempo de cultivo, com o lucro das colheitas.

2) Tempo

O segundo ponto a ser considerado é o tempo, logo que, com a aplicação de mais mecanização, o processo de colheita do café se torna mais rápido.

Uma colheita totalmente mecanizada, por exemplo, vai ser, no mínimo, 500 vezes mais rápida que uma colheita manual seletiva. 

Porém, nem sempre a velocidade será o fator principal, como é o caso de pequenas áreas de cultivo, gerenciadas pela agricultura familiar que, dentro desta realidade, a mecanização pode não ser a escolha mais economicamente viável.

3) Qualidade x Valor de venda

Sem dúvidas, a coleta seletiva garante maior qualidade do café, visto que apenas os frutos maduros são colhidos e, como consequência, maior é o valor de venda.

Por outro lado, a colheita por derriça garante maior otimização do processo, porém, menor valor de venda.

Entendendo todas essas características, como também o grau de necessidade de colheita, como o tamanho da plantação, é possível entender qual método faz mais sentido para a realidade da safra.

4 cuidados importantes na hora da colheita do café

1) Evitar quebrar os ramos e arrancar as folhas das plantas

A colheita do café deve ser feita apenas da cereja, retirando-a diretamente do pé plantado.

O arranque e quebras propositais de ramos e folhas agride a planta e, por consequência, prejudica o cultivo seguinte.

2) Evitar a colheita de frutos verdes

Como comentamos, a colheita deve ser feita apenas das cerejas.

Quando o fruto ainda é chumbinho (verde), a sua retirada resultará em um produto de menor qualidade e de menor preço.

3) Evitar a colheita tardia

Por outro lado, também não é recomendado colher após o estágio de maturação, logo que isso resultará em frutos mais ardidos, pretos e brocados (furados por insetos).

4) Usar preferencialmente sacaria de aniagem para transportar o café

A sacaria de aniagem é, sem dúvidas, a mais recomendada para o transporte do café.

Sua utilização garante grandes benefícios, tais como: 

  • Preservação do aroma e sabor do café;
  • Regulação de umidade;
  • Facilidade de empilhamento e armazenamento;
  • É adequado às normas internacionais, 
  • Além de ser biodegradável, ecológico e sustentável.

É importante salientar que o momento de colheita exige uma enorme quantidade de sacarias e, para essa situação, o produtor precisa estar preparado para não perder seu produto por falta de armazenamento.

Por isso, é recomendável a utilização de máquinas de costurar sacos, específicas para a produção de sacarias resistentes e de boa qualidade.

Veja também: As 4 Melhores Máquinas de Costurar Sacos (Análise Completa)

3 pontos principais do pós-colheita do café

Como você pôde ver, o processo de colheita do café é uma etapa que exige muitos cuidados.

E para que todos esses esforços não sejam perdidos, o pós-colheita também necessita de atenção.

Por isso, separamos 3 pontos principais desta etapa.

1) Transportar o café da roça para o terreirão no mesmo dia

Após a colheita, o processo de secagem das cerejas é extremamente importante para não ocorrer a perda do produto.

Por isso, assim que colhido, o café necessita passar pelo processo de secagem imediatamente para evitar sua fermentação.

2) Verifique a umidade do café

Mesmo após a secagem, o grão ainda pode conter umidade, ou seja, uma quantidade de água em sua composição.

Para o café, a quantidade ideal de umidade é de 10% a 12%, passando disso, o mesmo pode perder qualidade pela sua rápida degradação.

Da mesma forma, lotes de grãos com secagem desuniforme perdem o valor de venda.

Por isso, a checagem é importante e pode ser feita através de um medidor de umidade, o qual fornece tais informações precisas ao produtor para um melhor controle de qualidade do café.

3) Cuide do armazenamento

Por mais que sejam tomados todos os cuidados desde o momento da colheita do café, as perdas de qualidade fazem parte do processo. 

Por isso, o armazenamento do mesmo precisa ser feito da forma correta, em um ambiente controlado e climatizado, guardado em sacarias de aniagem e com constantes verificações deste processo de perda de qualidade.

Para isso, é recomendável a utilização de caladores para a coleta de grãos, garantindo uma amostragem mais precisa e confiável, sem agredir a sacaria.

Importante: Ao escolher o calador, verifique se o mesmo possui as especificações RAS 2009 do Ministério da Agricultura para análise de sementes.

Planeje e monitore

Embora a colheita de café seja o momento mais esperado de todo o cultivo, para alcançá-la é necessário planejamento.

Apesar de também contar com a ajuda de fatores externos e incontroláveis, como o clima, organizar cada passo do cultivo é essencial para se obter bons resultados no momento da colheita.

Por isso, revise todos os equipamentos e necessidades, como pessoal disponível, para o momento da colheita do café, sem deixar tudo para a última hora.

Aproximando-se do tempo de colheita, não se esqueça de fazer a arruação do terreno, ou seja, a limpeza e roçagem do mato entre os pés de café, como também debaixo deles, para facilitar os processos de seletiva ou derriça das cerejas.

Fique de olho também no tempo de colheita.

Pelo longo período de maturação do café, de março a setembro, a colheita pode acontecer com variações de tempo, de uma para outra.

Lembrando que, apesar deste grande intervalo de tempo, a cereja passa a estar em estado de colheita após, aproximadamente, seis meses do seu surgimento na planta.

Para isso, não se esqueça de todas dicas que demos aqui, mas principalmente:

  • Colha sempre os grãos maduros;
  • Pratique a colheita com, no mínimo, 80% do cafezeiro com frutos em estado de cereja;

Uma paixão nacional que requer cuidados

Sabemos o quão trabalhoso é o cultivo do café, por isso, seguir essas recomendações ajudará a obter máxima otimização de toda a plantação e, claro, melhor rentabilidade.

Se esse texto te auxiliou a entender melhor sobre todos esses processos, não deixe de acompanhar o blog da Equipacenter, com conteúdos específicos para o produtor rural.

Por isso, enquanto passa um café, veja também os artigos que preparamos sobre agricultura de precisão e logística no agronegócio.

Compartilhe:
Você também pode gostar

Deixe um comentário