Colheita da Soja: Quando realizar, Passos e Métodos para aumentar a produtividade

colheita da soja
11 minutos para ler
Compartilhe:

Uma das maiores commodities do Brasil, sem dúvidas, é a soja.

Aliás, não só do Brasil, mas do mundo.

Segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a safra de 2021/22 bateu recorde de produção de soja, com 141,3 milhões de toneladas, tornando o país o maior produtor do grão no planeta.

São dados que demonstram a grande movimentação e influência que a soja tem na agroindústria.

Apesar disso, a perda mínima do agricultor é de dois sacos por hectare, enquanto o ideal seria apenas um, segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Então, como reduzir tamanho desperdício e aproveitar ao máximo o cenário de grande produtor de soja que o Brasil carrega?

O primeiro passo para isso é realizar a colheita da soja de maneira correta.

Para saber mais e garantir o máximo de aproveitamento da sua plantação, acompanhe esse artigo que preparamos sobre o assunto.

Quando realizar a colheita de soja?

A colheita da soja é realizada quando o grão ganha maturidade fisiológica, ou seja, quando ele deixa de transportar nutrientes da planta e passa a acumular matéria seca.

Essa é uma etapa que exige grande cuidado e atenção, afinal, a soja pode facilmente se perder ao ser exposta a condições climáticas adversas.

Nesse estágio de maturação também, os grãos ainda estão extremamente úmidos e, nas plantas, há a presença de ramos e folhas verdes que impossibilita a colheita mecanizada da soja.

Como, então, fazer a colheita sem expor os grãos ao clima por um longo período e de forma mecanizada?

Uma solução adotada por muitos produtores é utilizar o método de dessecação da planta, no qual é aplicado herbicida na plantação que a secará de forma mais rápida e uniforme, possibilitando, então, a colheita dos grãos proveitosamente.

Assim, a soja também é prevenida de contrair pragas e doenças antes de sua colheita.

Essa prática, porém, só deve ser realizada no estágio conhecido como estádio R7 da soja, ou seja, quando aproximadamente 70% das suas vagens estiverem com uma coloração voltada para o marrom ou bronzeada.

Como é feita a colheita de soja?

A soja é um grão que requer muito cuidado.

Como vimos, ela precisa estar no ponto ideal para a sua colheita.

Tal ponto está diretamente relacionado à umidade do grão, logo que se não estiver no estágio ideal, a colheita mecanizada será impossibilitada e, se realizada, resultará em perdas na rentabilidade da plantação, logo que o maquinário machucará os grãos.

A Embrapa Soja aconselha que o momento da colheita aconteça quando o grão apresentar entre 13% e 15% de umidade, observando seu desenvolvimento nos dias anteriores à colheita, logo que o clima influencia nesse aspecto.

Aliás, após a colheita, atente-se também a essa mesma umidade antes de realizar o armazenamento dos grãos, logo que se não passados pelos processos corretos de secagem, podem gerar condições de armazenamento inadequadas que também resultam em perdas.

Por isso, realizar a colheita requer extremos cuidados de planejamento e equipamentos adequados, como medidores de umidade de grãos.

5 passos para fazer uma colheita de soja eficiente

Ao se aproximar o tempo de colheita, atente-se sempre a esses pontos:

1. Teor de umidade dos grãos e condições climáticas

É sempre bom reforçar esses dois pontos, logo que eles serão decisivos para uma colheita efetiva.

Além das recomendações que citamos anteriormente, em casos de grandes plantações, é indicado que a colheita comece a ser feita quando os grãos estiverem com umidade entre 15% e 16%, sendo acompanhada 15 dias antes da data prevista para a colheita.

Além disso, dê preferência para a realização desta atividade pela manhã, logo que este período apresenta condições climáticas mais favoráveis, com alta umidade do ar e temperaturas amenas.

2. Ajuste a regulagem da colhedora e prepare o solo

Como vimos, usar o maquinário no momento errado prejudica o rendimento da colheita, porém, se a colhedora não for ajustada da maneira correta, mesmo com os grãos na umidade correta, os prejuízos também acontecerão.

Lembre-se sempre que a velocidade do maquinário não pode exceder 5 km/h.

Além disso, um solo bem nivelado uniformiza a plantação e evita a debulha dos grãos, garantindo um melhor resultado na hora da colheita, ao facilitar o caminho da colhedora.

3. Época de semeadura

O momento de semear é extremamente importante para a boa colheita. 

Realizar a semeadura na época do ano correta, implica diretamente no amadurecimento dos grãos no clima correto, refletindo em safras mais rentáveis.

Por isso, atente-se à época do ano correta para essa atividade na sua região de cultivo. Em geral, ela acontece entre meados de outubro e primeira quinzena de dezembro.

Se estiver em dúvidas, a Embrapa preparou um guia completo detalhando o momento correto da realização desta atividade para cada região do país. 

4. Atente-se às plantas daninhas

Um dos grandes motivos de gargalos no momento da colheita é a presença de plantas daninhas.

Se não retiradas, além prejudicar as máquinas agrícolas, resultando no atraso da colheita, também podem reter a umidade no grão, prejudicando sua qualidade.

Por isso, realizar o processo de dessecação é sempre a melhor escolha.

5. Dessecação

Como vimos anteriormente, a dessecação é a melhor técnica a ser utilizada para a colheita, logo que permite sua mecanização, o que facilita o processo, além de eliminar plantas daninhas que prejudicam a relação de umidade desejada.

Além disso, a boa prática da dessecação ajuda a preparar o solo para o plantio seguinte.

Porém, para isso, é preciso se ater ao momento de maturação da soja, aplicando a técnica quando a mesma estiver no estádio R7, que explicamos anteriormente.

Além disso, a colheita deve ser realizada, no mínimo, sete dias após a dessecação.

Colheita de soja manual x mecanizada: entenda as diferenças

colheita da soja mecanizada

Escolher a forma de colheita implica diretamente em diversos fatores que refletirão diretamente na rentabilidade da safra, como tempo de trabalho, custos, mão de obra especializada, dentre tantos outros pontos aos quais o produtor precisa estar atento.

catálogo equipacenter 2023

Veja suas diferenças:

Colheita manual

Como o próprio nome sugere, na colheita manual a retirada dos frutos das plantas é feita à mãos, com catadores as recolhendo diretamente ao pé, sem a utilização de qualquer equipamento.

Vantagens:

  • Seleção dos melhores frutos de forma mais apurada;
  • Menores erros mecânicos;
  • Menor impacto ambiental;
  • Antecipação da colheita.

Desvantagens:

  • Menor rendimento de trabalho;
  • Alto custo com mão de obra;
  • Menor cobertura de terreno plantado.

Colheita Mecanizada

Por outro lado, a colheita mecanizada se utiliza de ferramentas e máquinas para a realização do trabalho, como colhedoras e derriçadeiras.

Assim como a manual, apresenta vantagens e desvantagens:

Vantagens:

  • Maior salubridade e segurança ao trabalhador;
  • Menores perdas;
  • Cobertura de maiores áreas;
  • Maior eficiência na colheita.

Desvantagens:

  • Maior impacto ambiental;
  • Desuniformidade de maturação;
  • Danos mecânicos;
  • Mistura e perda de grãos.

4 tecnologias que ajudam na colheita da soja 

Não podemos negar que a tecnologia na agricultura é um fator que veio para ficar, o que não é diferente quando falamos do campo.

A agricultura de precisão contribuiu muito para o cultivo e colheita mais assertiva de todo tipo de grão, inclusive da soja.

Abaixo, veja exemplos de tecnologias que ajudam diretamente nos bons resultados da colheita:

1. Drones

Drones são, em resumo, sensores aéreos. 

Por meio de suas câmeras e tecnologia de movimentação e captação de imagens, é possível cobrir grandes áreas em um menor período de tempo.

Assim, corrigindo quaisquer irregularidades nas plantações, como pragas e mau desenvolvimento, de forma personalizada.

Veja também: Drone na Agricultura: Vantagens e como utilizar

2. Predição de microclima

Como vimos, a soja é um grão extremamente sensível ao clima.

Logo, conhecer quais são as condições climáticas dos momentos de realizar alguma ação à plantação por meio de ferramentas de predição de microclima, tornará o trabalho mais efetivo e evitará desperdícios.

3. GPS Agrícola

Agora, imagine aplicar os produtos necessários para a dessecação em uma plantação extremamente grande e não saber qual caminho já foi percorrido…

Além de gerar retrabalho, também resultará em maiores custos com a utilização de mais insumos.

Por isso, utilizar GPS agrícola é uma excelente saída para evitar tais infortúnios.

Ótimas opções são o Farmpro PRO 7 e o Farmpro MAX 7, ambos disponíveis na Equipacenter.

Para conhecer melhor suas diferenças e saber qual melhor se adapta a sua lavoura, preparamos um artigo especial detalhando as funcionalidades de cada um.

4. Softwares de gestão agrícola

Afinal, sensores como os dos drones coletam e geram muitos dados que, se não processados, não têm grande serventia…

Por isso, entra a importância de softwares de gestão agrícola que, além de transformar os dados em informações claras e precisas, também armazenam um histórico de colheitas anteriores, refletindo diretamente em decisões mais assertivas.

A colheita de soja muda de estado para estado?

A colheita de soja muda sim, de estado para estado!

Pelo grande impacto que as variações climáticas têm sob o desenvolvimento do grão, cada região do país possui variações no tempo de colheita.

Isso fica ainda mais evidente quando pensamos nas características de clima dos estados brasileiros devido ao tamanho continental do país, com uma grande variedade de biomas.

Em meados de abril de 2021, por exemplo, enquanto Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Paraná já haviam colhido 100% do seu plantio, São Paulo, Goiás e Minas Gerais apenas 99%. 

Apesar de não parecer grande a diferença, quando olhamos para o Rio Grande do Sul (um dos grandes produtores do grão no Brasil) nesta mesma época, a colheita ainda estava em 65%.

Isso se deve a vários fatores, dentre eles o momento de semeadura, que comentamos anteriormente, que varia de uma região para outra para aproveitar os melhores momentos de maturação do ano e do estado.

Outro motivo também são as intervenções climáticas, como chuva, seca e geada, que impactam diretamente no tempo de colheita de estado para estado.

Como evitar perdas na colheita de soja?

Como podemos observar, a soja é um grão que requer grandes cuidados para se obter uma boa safra.

Por isso, algumas técnicas podem evitar perdas no momento de seu colhimento.

A primeira delas é realizar a colheita quando os grãos estiverem em pleno estágio de maturação, também conhecido como estádio R8, ao ter 95% das vagens em coloração amarronzada.

Se passada dessa maturação, podem ocorrer perdas da colheita, como a debulha natural da soja.

Outros pontos de atenção são na altura e volume de ramificações da planta.

Quando a planta é muito baixa, as vagens ficam próximas ao solo, logo, na altura do corte dos maquinários. Como consequência, a perda dos grãos se torna inevitável no momento da colheita.

Da mesma forma, quando muito ramificada, impossibilita o maquinário de realizar a colheita de forma completa, agredindo a plantação sem realizar o trabalho desejado e de maneira eficiente.

E por falar em maquinário, as colhedoras também necessitam estar bem reguladas e ajustadas para a realização do trabalho, com os sistemas de corte, trilha e limpeza extremamente funcionais.

O sistema de corte, quando mal regulado, representa uma perda média de 80% da safra, segundo dados da Embrapa. Por isso, a recomendação é que a velocidade do molinete seja de 15% a 20% acima da velocidade do maquinário.

Já no sistema de trilha, apesar de menores as perdas, em comparação ao corte, podem ocorrer quebras e danos que resultam em um grão de menor qualidade e na diminuição da germinação.

Por sua vez, no sistema de limpeza, quando não bem regulado, impacta diretamente na pureza final dos grãos, somando-se palhas com sementes ao produto final.

Atenção à colheita nunca é demais

Ainda mais quando falamos de grãos sensíveis, como a soja.

Estar atento a todas as dicas deste texto garantirá uma melhor colheita e maiores retornos como consequência.

Fique de olho no momento certo de maturação do grão e aproveite o grande mercado desta commoditie que o país tem a oferecer ao mundo.

Compartilhe:
Você também pode gostar

Deixe um comentário